Segurança proíbe entrada de ex-aluno na Estácio



A ação do segurança é vista como discriminatória

Na tarde dessa terça-feira (14) um ex-aluno foi barrado por seguranças da Estácio mesmo tendo se identificado na portaria e está acompanhado de um aluno regularmente matriculado na Instituição.

Segundo os seguranças, que estavam na portaria, a ordem para impedir a entrada do ex-alunos partiu do diretor da Estácio.

Na tarde de quarta-feira (15), um dos seguranças que barrou a entra do ex-aluno, deixou passar uma jovem que sequer se identificou.

Ao ser questionado por que deixou a jovem passar, o segurança informou que a amiga dela tinha cadastro biométrico na Instituição.

Há cerca de 2 meses um aluno foi abordado por um funcionário da Estácio São Luís quando vendia barras de chocolate sentado em um banco em frente aos laboratórios de informática.

O funcionário, que o abordou, estava acompanhado de segurança e pediu para o estudante parar de vender os chocolates no local.

A ordem para não deixar alunos venderem chocolates, sanduíches, canjicas e outros produtos partiu, segundo o funcionário, também do diretor da Estácio São Luís.

O que causou espécie naquele momento, foi a abordagem apenas ao aluno, enquanto outras alunas vendiam sucão e outros produtos nas proximidades.

Para quem presenciou a ação do segurança contra o ex-aluno na última terça-feira,  admite que ouve discriminação.

A direção da Estácio precisa se manifestar sobre o assunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário