Equipe premiada de contadoras de história da Prefeitura apresenta trabalho na Academia Maranhense de Letras


Alunos da Educação Infantil tiveram uma tarde diferente na Academia Maranhense de Letras

Com a intenção de proporcionar o desenvolvimento de práticas leitoras, cerca de 30 crianças da U.E.B. Antônio Lopes, da rede municipal de ensino de São Luís, viveram uma experiência diferente nesta terça-feira (28).

Elas foram à Academia Maranhense de Letras (AML) acompanhar a equipe da Prefeitura de São Luís ligada à Secretaria Municipal de Educação (Semed) e que foi premiada na 3ª edição do Troféu Baobá, no mês de abril, em São Paulo. Na oportunidade, as contadoras apresentaram o trabalho realizado por elas nas salas de aula da rede municipal.

A ação integra a política de incentivo à leitura implantado na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior.

Para a secretária adjunta de Ensino, Maria de Jesus Gaspar Leite, que representou o secretário Moacir Feitosa, as crianças são o sentido do trabalho desenvolvido na Secretaria. Ela agradeceu as portas abertas da AML e pontuou a importância deste momento na vida delas.

"A vinda à AML é importante para desenvolver na consciência delas o gosto pela leitura, e as práticas leitoras são fundamentais, ainda mais em espaços alternativos, para além da escola, pois estes marcam a vida das crianças, é um momento significativo no processo de leitura e de escrita e de incentivo a gostar das letras e cumprir o papel da Educação na construção de uma sociedade mais justa, humanitária e mais sábia", pontuou.

De acordo com o presidente da AML, Benedito Buzar, é a primeira vez que a Academia recebe esse público de crianças tão pequenas. Para ele, este é um momento de despertar. "Esse é um público do futuro e temos que investir nele. Aqui está o potencial da cultura do Maranhão. Este é um exercício de preparação para os futuros intelectuais do Maranhão", assegurou.

Para a coordenadora do Livro Infantil da Semed, Sinara Coelho, o convite do presidente da AML para participação desse projeto é um reforço a mais para as práticas que incentivam a leitura na rede.

"É importante trazer as crianças para um espaço que é referente à leitura e como é a Academia Maranhense de Letras. É importante também tirar as crianças da rotina da escola, e levar para outros ambientes que tenham a mesma proposta de trabalhar a literatura. Esta é uma forma de ampliar o conhecimento delas", disse.

A ação na AML também contou com a presença do escritor maranhense Wilson Marques. Ele é autor de diversos livros infantis, entre os quais "A menina levada e a serpente encantada" e é um dos autores que integra o projeto da Coordenação do Livro Infantil da Semed, de valorização dos escritores maranhenses. Na ocasião, autografou livros para os presentes.

As crianças ocuparam as primeiras filas do salão nobre da Academia Maranhense de Letras, e assistiram atentas à contação de histórias. A pequena Jesiene, 5 anos, estava bem animada com o passeio. "Gosto da história da Frozen, mas acho a Serpente Encantada legal também". Geovana, 5 anos, confessou que acha a serpente bonita e disse que na escola a professora também conta histórias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário