Estudantes participam de projeto no Centro Cultural do MPMA



Estudantes da rede municipal de ensino participaram da primeira fase do projeto Educação Patrimonial. O evento aconteceu no Centro Cultural no Ministério Público do Maranhão, na terça-feira, 9.

A coordenadora do Centro de Apoio de Defesa do Direito à Educação (CAOp-Educação), Sandra Soares de Pontes, e a professora Giuliana Carvalho deram as boas-vindas aos estudantes. Em sua fala, Sandra Pontes afirmou que “o Ministério Público do Maranhão está sempre de portas abertas para receber os cidadãos. Trabalhamos em prol da sociedade, para garantir os direitos de todos. Sejam bem-vindos e sintam-se à vontade. Vocês estão na casa da cidadania”.

Após o acolhimento, os alunos visitaram a exposição “Eu posso, eu faço”. As peças foram produzidas pelos jovens da Associação de Amigos do Autista (AMA). A exposição acontece no Espaço de Artes Ilzé Cordeiro, no Centro Cultural do MPMA, até o dia 19 de abril.

Em seguida, os cineastas Milena Carvalho e Francisco Colombo iniciaram as atividades.

O PROJETO

Cineasta Francisco Colombo
O Projeto Educação Patrimonial será desenvolvido em três fases. O objetivo é discutir quatro temas da história ludovicense: as Lendas da Manguda e da Serpente, O crime da baronesa e O Palácio das Lágrimas.

A primeira fase é voltada para estudantes da rede pública. A Secretaria Estadual de Educação (Seduc) também aderiu ao projeto, que foi inicialmente elaborado em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed) para atendimento dos estudantes da rede municipal de ensino.

Para esta etapa, a estratégia escolhida foi Formação em Cinema, englobando as etapas de História/ /Linguagem/Roteiro e Produção.

Na avaliação do diretor da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), Raimundo Nonato Leite Filho, “ esta iniciativa visa capacitar os estudantes para a utilização consciente e valorização dos bens culturais. O conhecimento crítico e o envolvimento são indispensáveis para a preservação do acervo cultural da nossa cidade e do nosso Estado”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário