Governo comunista terá que explicar serviços pagos e não prestados



O governo do Estado do Maranhão terá que esclarecer à execução dos contratos na área de comunicação, protocolado em Ação Popular 0801600-11.2016.8.10.0001, na Vara de Interesses Difusos. Onde destaca que existem pagamentos feitos por serviços fantasmas, no valor de R$ 37 milhões, envolvendo a Secretaria de Estado de Comunicação e Assuntos Políticos (Secap) e três agências de publicidade: Clara, Mallmann e Eurofort Comunicação.

Todo esse montante teria servido apenas para promover Flávio Dino (PCdoB), e por isso deveria ser retirado dos programas, propagandas, obras, logomarca e documentos oficiais o slogan “Governo de Todos Nós”. 

Houve ainda pedidos pela suspensão de todas as propagandas veiculadas, anulação dos contratos, condenação das agências de publicidade a devolver as quantias recebidas do governo. E das agências, a indenizar os cofres públicos por perdas e danos.

Enquanto o governo deixa a desejar em áreas mais importantes como saúde, educação e segurança. Investe altos valores em agências de publicidade, “por um serviço não prestado”. O como será explicado o povo maranhense não sabe. Mas já tem data e hora marcada para que a população tenha uma explicação deste desvio de verba pública.

O prazo é de 30 dias, para que comprove a execução e a efetiva prestação dos serviços pelas agências contratadas, a contar da data de intimação. Foi determinada ainda uma audiência de instrução para o dia 16 de outubro próximo, oportunidade em que será produzida prova oral e apresentadas alegações finais orais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário