Prefeitura reforça trabalho diário de prevenção e combate à proliferação do Aedes aegypti

Agentes de endemias realizam tratamento com larvicida e também distribuem material educativo para a população
A Prefeitura de São Luís está reforçando o trabalho preventivo de combate à proliferação do mosquito Aedes aegypti com visitas diárias a feiras e mercados, terrenos baldios e residências da capital.

A iniciativa, que segue orientação do prefeito Edivaldo e que é executada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), tem como objetivo intensificar o monitoramento diário, durante o período chuvoso, para eliminação de criadouros do inseto nos pontos suscetíveis à infestação e realizar abordagens educativas para orientar a população sobre as formas de prevenção visando à redução das doenças transmitidas pelo inseto, como dengue, febre chikungunya e zika vírus.

Este ano já foram vistoriados cerca de 300 mil imóveis, entre estabelecimentos e domicílios. No ano passado, o trabalho de prevenção alcançou a marca de aproximadamente um milhão de visitas a imóveis, nos seis ciclos de trabalho de combate ao inseto.

"Esse é um trabalho que realizamos o ano inteiro, mas que intensificamos próximo e durante o periodo de chuva com visitas a imóveis, ferros-velhos e borracharias. O objetivo da ação é identificar possíveis criadouros", disse o secretário da Semus, Lula Fylho.

Entre os pontos visitados esta semana está a Feira do João Paulo. O trabalho dos agentes de endemias nesses locais consiste no tratamento com larvicida diretamente nos focos do mosquito, principalmente nos estabelecimentos que costumam ter muitos reservatórios de água e acúmulo de recipientes suscetíveis à proliferação do inseto, como garrafas, tampinhas, cacos e outros materiais.

O trabalho também se estendeu aos domicílios nas imediações da feira.

A Prefeitura está fazendo a sua parte. O trabalho contra a proliferação do inseto tem sido intenso e realizado diariamente por centenas de agentes de endemias que entram em campo para combater os focos do mosquito e orientar a população sobre o problema. A população é parte importante nesse processo.

Cerca de 40 equipes estão distribuídas para realizar o trabalho de campo nos oito distritos sanitários da cidade. Nas vistorias, é realizado ainda o recolhimento de bagulhos volumosos descartados pelos moradores acumulados nos quintais.

Além desse trabalho de combate direto aos focos do Aedes aegypti, os agentes de endemias realizam ainda abordagens educativas, com orientações e informações sobre os cuidados que a população deve ter para ajudar o poder público no combate ao problema.

VISTORIAS

Nas casas e estabelecimentos visitados, os agentes se identificam e vistoriam as instalações em busca de focos. Se encontrados, o procedimento é orientar o morador a tirar a água parada e trocar por areia ou terra; emborcar garrafas e outros recipientes que acumulam água, tampar os tanques de concreto, manter limpo o quintal, entre outros procedimentos.

O agente volta na casa visitada a cada 60 dias, seis vezes ao ano, para repetir o processo e manter o ambiente livre do mosquito. Nos pontos estratégicos, a visita é quinzenal e o tratamento, mensal.

Um dos estabelecimentos visitados pelos agentes na Feira do João Paulo foi o do comerciante Tomaz de Aquino, 62 anos, que trabalha na fabricação artesanal de polpas de frutas.

No local, os agentes realizaram o tratamento direto com larvicida visando evitar focos do inseto.

"Considero importante o trabalho dos agentes, na prevenção dessas doenças causadas pelo mosquito. Sei como prevenir e estou sempre alerta para não deixar os meus recipientes de água destampados, seja aqui ou na minha casa", relatou ele.

Oliomar Santos de Sousa, 20 anos, morador do Barés, um dos bairros visitados nas proximidades da Feira do João Paulo, também recebeu os agentes de saúde em sua casa, onde foi realizada vistoria no quintal e na área de serviço.


"Quem já sofreu com uma dessas doenças transmitidas por esse mosquito sabe perfeitamente a importância do trabalho feito pelos agentes. Já recebi várias vistorias em minha residência nos últimos meses e permito sempre a entrada dos profissionais", disse ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário